quarta-feira , setembro 19 2018
Home / Saúde Bucal / Dores de cabeça: problema de dentista
Headache

Dores de cabeça: problema de dentista

A correria do dia a dia, excesso de trabalho e noites mal dormidas, faz com que o corpo peça ajuda através de um sintoma comum bem conhecido: a dor, sintoma que mostra que o organismo está em desiquilíbrio. Normalmente as dores são mais intensas na região da cabeça e pescoço. Mas a solução pode ser encontrada dentro de um consultório odontológico, porque esses males podem ser causados por sobrecarga muscular, função inadequada e trauma mastigatório, acompanhado ou não de fundo emocional. De acordo com a dentista, Catarina Riva, se essas dores não forem tratadas de forma rápida e adequada, pode virar uma bola de neve.

Dra. Catarina
Dra. Catarina

“O bruxismo, por exemplo, é um tipo de Dor e Disfunção Temporomandibular (DTM) que se caracteriza pelo ‘apertamento’ e movimentos involuntários bruscos que traumatizam os dentes, as articulações e os músculos da mastigação. O diagnóstico deste mal tem que ser preciso e resolvido o quanto antes, com tratamento para remover a causa do bruxismo e/ou placas miorrelaxantes, que protegem a arcada dentária” revela. A especialista ainda comenta que esse problema se caracteriza por dores na região das têmporas – entre o final das sobrancelhas e ouvido. “Em muitos casos, a pessoa pode confundir com dor de dente e, se o caso não for avaliado da forma correta, pode acontecer a extração sem necessidade”, complementa Catarina.

A apneia – paralisação da respiração por obstrução da passagem de ar – também é outro caso que pode ter origem dentária. Pois esse distúrbio interfere diretamente no sono e, consequentemente, causa sintomas como dores no corpo e de cabeça. Parece simples, mas o problema é mais sério do que se pensa, ele pode levar a pessoa a óbito.

Então, para esses casos, segundo a dentista, as soluções também são simples, porque podem ser usados dispositivos intra orais, que são pequenos, utilizados na hora de dormir e resolvem cerca de 90% desses casos.

“Um posicionamento posterior da mandíbula causa uma constricção das vias aéreas, provocando obstrução das mesmas, ocasionando a apnéia do sono. Uma maxila (osso de sustenta os dentes superiores) contraída causa um retroposicionamento lingual, o que também favorece esta obstrução. A apneia pode parecer um problema simples, mas ela é mais séria do que se imagina, podendo causar, inclusive, a morte do paciente”, comenta a especialista.

Catarina ainda alerta que é importante sempre estar em contato com o seu dentista e relatar qualquer alteração na sua mastigação, pois ele será capaz de diagnosticar e tratar com excelência esses problemas.

 

Confira Também

dor_dente

Afta: um incômodo doloroso

Doloridas e pequenas as aftas não tem solução definitiva. Há de convir que elas incomodam ...